“Não é ilegal servir bebida alcoólica na Câmara”, garante presidente

“Não é ilegal servir bebida alcoólica na Câmara”, garante presidente Fonte da Foto: Assessoria

A polêmica envolvendo bebidas alcoólicas na Câmara de Avaré, durante uma sessão que homenageou policiais militares, dominou a palavra livre do presidente do Legislativo, Toninho da Lorsa, na noite de ontem, dia 9 de outubro.

Fotos divulgadas pela imprensa e nas redes sóciais mostram que, durante o evento, foi servida bebida alcoólica dentro do prédio do Legislativo.

O presidente do Legislativo chegou a pedir desculpas aos vereadores Sérgio Fernandes e César Augusto Morelli, que são policiais militares aposentados. “Peço desculpas a vocês dois. Tivemos este evento em 13 cidades e o único lugar que teve problema foi em Avaré”, afirmou.

“Fomos atacados, tratados como bêbados, é uma pena que isso aconteça. Pessoas vieram até à Câmara para serem homenageadas e acabaram sendo atacadas. Para atacar esta Casa, atacam estas pessoas”, desabafou o vereador pelo PSDB.

Toninho da Lorsa reconheceu que, mesmo sendo presidente do Legislativo, não sabia que seria servida bebida alcoólica, durante o evento. “Concordo que não seria o melhor local, mas o evento estava para acontecer e achei que permitir seria a melhor decisão”, disse, ressaltando ainda  que não é a primeira vez que isso acontece dentro do prédio do Legislativo, em um evento comemorativo..

Toninho garante que não existe nada de ilegal no ato de se servir bebida alcoólica dentro da Câmara. “Não existe lei que proíba isso, como também não tem nada que torne legal as pessoas beberem café e água aqui dentro”.

“Se eu tiver que responder por isso, vou responder. Fiz na melhor das intenções”, finalizou o presidente da Câmara.

O vereador Sérgio Fernandes, que também foi o autor da homenagem, afirmou estar chateado com a situação e diz ter recebido uma ligação do presidente da Associação de Cabos e Soldados pedindo desculpas pela situação.

Assim como o presidente, Sérgio Fernandes diz que também não sabia que seriam servidos cerveja e uísque dentro do Legislativo. “Fomos pegos de surpresa, mas tudo foi feito com responsabilidade. A Câmara não virou boteco”, afirmou.

Já César Morelli, coronel aposentado da Polícia Militar, disse que o “assunto é muito volátil para tanto interesse em comentar”.

Veja Também