2ª CPI da Dívida Ativa investigará apenas 2 anos

2ª CPI da Dívida Ativa investigará apenas 2 anos Fonte da Foto: André Guazzelli

Mais uma vez, a Câmara de Avaré tenta emplacar a chamada CPI da Dívida Ativa. Na primeira tentativa, a Prefeitura conseguiu barrar judicialmente os trabalhos dos vereadores.

Na manhã de ontem, dois dos três vereadores que compõem a CPI da Divida Ativa (Ernesto Albuquerque e Flávio Zandoná) realizaram uma coletiva de imprensa para falar sobre o andamento da Comissão.

A vereadora Marialva Biazon também faz parte da CPI.

De acordo com os vereadores, a nova CPI deve investigar apenas dois anos de dívidas tributárias não cobradas pela Prefeitura. A anterior, tinha como objetivo os quatro últimos anos, portanto, a nova Comissão investigará apenas a gestão de Jô Silvestre.

E parece que, novamente, a Prefeitura não irá facilitar os trabalhos dos vereadores. De acordo com Ernesto e Zandoná, até o momento nenhum requerimento deles foi respondido, mesmo tendo expirado o prazo definido por lei.

A Prefeitura também recorreu judicialmente e tenta barrar os trabalhos desta segunda Comissão.

Segundo os vereadores, até o momento, apenas o poder judiciário respondeu aos questionamentos deles. De acordo com a Justiça, desde 1993, há mais de 1200 processos da Prefeitura em execução contra empresas devedoras. Zandoná e Ernesto acreditam que o número de firmas não executadas seja maior.

Os vereadores afirmam que o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo apontou que a Prefeitura de Avaré deixou de receber mais de R$ 200 milhões somente de empresas devedoras.

Veja Também