Barreto em entrevista aos 60 Minutos tenta explicar pedido de Estati

Barreto em entrevista aos 60 Minutos tenta explicar pedido de Estati Fonte da Foto: arquivo

Na manhã de ontem, dia 21 de fevereiro, o presidente da Câmara Barreto de Monte Neto ligou à redação do Jornal do Ogunhê justificando o motivo de ter ido dar entrevista ao programa 60 Minutos sendo entrevistado justamente pelo seu colega de bancada Ernesto Albuquerque.

Barreto argumentou que o vereador pode, sim, pedir vista, essa foi sua declaração tanto na emissora como também por telefone ao Jornal do Ogunhê. Mas, o argumento de Barreto é muito contraditório, porque se tivesse a razão que pensa ter, não teria sido enquadrado durante a discussão do projeto, pelo vereador Ernesto Albuquerque que votou contra fogos de artifícios, sendo o mesmo a entrevistá-lo na quinta-feira, entrevista que teria incomodado muitos petistas que não compactuam com as atitudes de Barreto, até o momento.

Barreto disse que o vereador Estati pediu vistas do projeto para poder fazer modificações e sanar dúvidas. Na sua infeliz declaração, demonstrou não conhecer o regimento interno da Câmara que não permite alterações nem emendas em projeto que já tramitou e passou pelas comissões. Barreto chegou a enviar um link do regimento, mas esqueceu que havia dado a palavra ao vereador Estati antes de discutir em plenário a situação, o que deixou teoricamente claro que tudo seria outra jogada política que, novamente, contou com a participação de Barreto. O fato é que o presidente da Câmara deixou clara sua desavença com a vereadora Adalgisa, já que teve o despautério de dizer que a vereadora não havia pedido o seu voto.

Como falamos aqui, o pedido é tão somente para que o parlamentar possa se inteirar do projeto e assim decidir o voto, assunto que o vereador teve todo o tempo do mundo para discutir em quase 20 dias, mas que deixou para pedir vista em plenário para causar um tumulto sem a percepção da presença de centenas de pais e mães, médicos e veterinários, enfim uma discussão que poderia ser deixada de lado, se a política não falasse mais alto.

O estranho de tudo isso e que vem sendo conversas em Avaré foi o fato do vereador petista Ernesto Albuquerque levar o vereador colega para uma entrevista, depois de ter, teoricamente, enquadrado o mesmo, o que já foi divulgado pela imprensa.  De qualquer maneira, o erro já existiu e o que vemos agora é o vereador Barreto tentando, supostamente, se livrar mais uma vez como fez em outras vezes, votando para a base do prefeito, coisa que nunca ocorreu com vereadores do PT.  

Diante de tudo isso o que vemos é a tentativa de salvar a situação política de Barreto e observem que ninguém está pensando nas famílias de autistas e de pessoas que possuem animais de estimação, mas o lado político parece estar falando mais alto, por enquanto. O que valeu é que Ernesto teve uma postura positiva na entrevista.

Veja Também