Barreto se omite na defesa do Legislativo

Barreto se omite na defesa do Legislativo Fonte da Foto: arquivo

É notório que todo chefe de Poder tem o dever de defender a instituição quando é atacada. Essa defesa pode ser através da manifestação do próprio presidente ou através do judiciário, pois conforme está escrito no artigo 26 da lei orgânica, dentre as atribuições do presidente, está a de representar a Câmara em Juízo ou fora dele.

Quando um ataque atinge o coração moral da instituição, entenda-se Câmara de Vereadores, cabe ao seu presidente repudiá-ló de todas as formas possíveis, sob pena de seu silêncio ser interpretado como concordância ou como se a agressão fosse indiferente.

O vereador Barreto de Monte Neto que é do PT e Presidente da Câmara, nessa sua suposta omissão ao não assinar a Moção de Repudio, deixou uma lacuna para que qualquer político venha a entender que o seu comportamento sobre outros assuntos em discussão, estaria levando muita gente a pensar o que o vereador não quer que seja pensado, mas ele estaria deixando marcas que não seriam esperadas nem mesmo pelo seu partido. Barreto se omite em defender o Legislativo e ainda levanta polêmica envolvendo sua colega de bancada, de uma hora para outra.

O radialista Rodivaldo Rípoli ao se referir aos vereadores como “cambada de safados”, no plural, sem dizer nomes, atingiu a totalidade dos vereadores e manchou a imagem da Instituição, mesmo deixando um vereador como exceção. Uma Câmara onde os vereadores são “cambada de safados”, como disse Rípoli, não seria, em tese, uma Câmara idônea.

A grave acusação de Rípoli, comentada nos quatro cantos da cidade, não foi, porém, suficiente para que o presidente Barreto tomasse alguma medida judicial, sequer ele assinou a moção de repúdio direcionada ao radialista e aprovada na sessão da última segunda-feira.

Para muitos, o presidente da Câmara não tem demonstrado firmeza nas suas atitudes e, por isso, vem permitindo comentários negativos sobre sua gestão, inclusive o de estar possivelmente  agradando  a situação. Pelo menos é o que mais se escuta pelos quatro cantos da cidade, mesmo o vereador dizendo que estariam interpretando errado esse seu comportamento.

Veja Também