Câmara virou um barril de pólvora soltando faíscas

Câmara virou um barril de pólvora soltando faíscas Fonte da Foto: ilustrativa

A Câmara de vereadores foi tomada por pessoas de diversas denominações religiosas para apoiar a aprovação de uma emenda da lei orgânica que quer proibir a disciplina de “ideologia de gênero” nas escolas municipais, o que já não existe no plano municipal de educação, fato que deveria ser do conhecimento do vereador Alessandro Rios, causador do maior tumulto dos últimos 30 anos no legislativo avareense.

Os fieis foram levados de forma pensada para a sessão de Câmara com o objetivo de fazer grande número na plateia por um motivo que não é urgente, pois não existe sequer a possibilidade desse tema ser aplicado em sala de aula, ou seja, com a lei aprovada ou sem ela, nada muda.

Mas, quem organizou isso tudo não se ateve ao grande perigo de lotar as cadeiras da Câmara como se fossem arquibancadas de um jogo tenso, disputado e dramático. Mais um pouco e a torcida poderia partir para agressão física devido ao calor da discussão, conforme relato de um evangélico que lá esteve e ficou assustado com toda a movimentação. Segundo ele, faltou muito pouco para a sessão terminar com violência e na delegacia, embora alguns vereadores tentem negar.

 

Veja Também