Caso Fatec relembra o ocorrido com Instituto Federal

Caso Fatec relembra o ocorrido com Instituto Federal Fonte da Foto: ilustrativa

Quem conhece o estilo de administração de Jô Silvestre não precisa se preocupar com certas declarações que ele faz quando quer se desvencilhar daquilo que não é tanto teoricamente de seu interesse, como eventualmente vem mostrando no caso da implantação da Faculdade de Tecnologia (Fatec) em Avaré.

Denota-se que quando os assuntos que demandam mais experiência de um prefeito ou um administrador, mais trabalho burocrático, percebe-se que não é um assunto em que o prefeito Jô Silvestre espera e eventualmente procura uma saída para, em tese, culpar alguém nem que seja necessário culpar o governador do Estado.

O que a sociedade avareense está assistindo agora com relação ao caso da Fatec em Avaré, mais parece a repetição de uma suposta tradição da família Silvestre, deixando indícios de não ter muito interesse pelo ensino, já que vemos que o prefeito não consegue supostamente a lidar com a educação do munícipio.

Quem não se lembra que quase Avaré perdeu o Instituto Federal, pelo fato do pai do atual prefeito, o ex-prefeito Joselyr Silvestre  não ter doado o terreno para a construção do Instituto e logo que mudou o governo, um grupo de Avaré entre eles vários políticos e deputados como Paulo Teixeira e José Eduardo Cardoso articularam, para a vinda do Instituto Federal, enquanto o ex-prefeito que assumia Rogélio Barchetti retomou a  área e fez uma doação para o Estado, quando somente foi exigido do ex-prefeito Joselyr a terraplanagem que foi feita no governo de Rogélio Barchetti, o que deu condições  da instalação do Instituto Federal de São Paulo (IFSP), mas por pouco conta o atual vereador Ernesto Albuquerque que se não tivesse havido essa articulação que contou até mesmo com Paulo Sckromov e Paulinho da Luz Para Todos Avaré teria perdido o Instituto Federal de São Paulo.

Veja Também