CPFL alerta para riscos de acidentes com pipas na rede elétrica

CPFL alerta para riscos de acidentes com pipas na rede elétrica Fonte da Foto: ilustrativa

Com as férias escolares do começo do ano, crianças e adolescentes aproveitam para curtir uma das mais antigas e tradicionais brincadeiras da infância - empinar pipa. Para que a diversão não vire um acidente grave ou, muitas vezes, fatal, a CPFL Energia, um dos maiores grupos privados do setor elétrico brasileiro, alerta pais e filhos para os riscos de se soltar pipa próximo à fiação elétrica. 

Entre 2018 e 2019, apenas nas cidades atendidas pela CPFL Santa Cruz, a companhia registrou 306 interrupções motivadas por pipas próximas à rede elétrica.“Nessa época, é preciso que pais e responsáveis redobrem a atenção com as crianças durante a brincadeira. Os impactos para a população podem ser graves - colocando em risco a segurança dos pequenos durante as férias escolares e prejudicando a qualidade do fornecimento de energia”, afirma Marcos Victor Lopes, gerente de Saúde e Segurança da CPFL Energia.

Na comparação entre os últimos dois anos, é possível perceber uma queda de 25% nas interrupções causadas por pipas. Foram 406 casos registrados em 2018 frente a 306 em 2019.Reflexo da intensificação,a cada período de férias escolar, dos alertas da CPFL Santa Cruz sobre os riscos da brincadeira perto da rede elétrica por meio da campanha Guardião da Vida.

Uma das principais causas dos acidentes está relacionada ao uso de cerol - mistura de cola, limalha e vidro moído -, e da "linha chilena". Vale ressaltar que o uso dos dois componentes é considerado crime. Além disso, estas linhas provocam curtos-circuitos e choques, podendo até ser um risco para ciclistas, motociclistas e a população em geral.

Liderando o ranking das 10 cidades com mais interrupções no fornecimento de energia causada por pipas em 2019 está Itapetininga, com 66 ocorrências. Em segundo lugar, vem Mococa, com 49 desligamentos, seguido por Avaré, com 48.

Dicas para que a brincadeira seja possível sem abrir mão da segurança:

- Empine pipas longe de rede elétrica, de preferência em locais livres onde não exista nenhum tipo de cabo de energia, de serviço telefônico ou antenas de celular. Isso evita acidentes e interferências na qualidade desses serviços;

- Não soltar pipas em canteiros centrais de ruas, avenidas, rodovias ou qualquer lugar onde exista fluxo de veículos; 

- Nunca use cerol ou a linha "chilena". Além de causar graves acidentes, elas são proibidas por lei;

- Não utilize papel alumínio na confecção da pipa. O material em contato com os fios provoca curtos-circuitos;

- Caso a pipa enrosque nos fios, nunca tente recuperá-la. Não utilize canos, bambus ou cabo de vassouras para desenroscar o brinquedo da rede elétrica;

- Não empine pipas na chuva. Elas funcionam como um para-raios, conduzindo energia;

- Não suba em lajes de casas para empinar ou recuperar pipas. Qualquer distração pode causar uma queda;

- Tenha cuidado com ciclistas e motociclistas. Em velocidade, linhas podem não ser vistas e, com isso, causar graves acidentes, sobretudo se tiverem cerol ou se a linha for chilena;

- É aconselhável ter sempre um adulto responsável acompanhando as crianças no momento da brincadeira.

- Em caso de rompimento de cabos causados pelo brinquedo, a população deve acionar imediatamente a distribuidora por meio dos canais de atendimento. Deve-se ficar o mais distante possível do fio partido para evitar novos acidentes graves e fatais. O aplicativo “CPFL Energia”, disponível para celulares e tablets de todos os sistemas operacionais, além do portal da distribuidora, podem ser usados pelos clientes das concessionárias do Grupo para reportar ocorrências e acidentes na rede elétrica. 

Veja Também