PAPO DE ESQUINA

Jornal do Ogunhe

Deputado Celso Giglio contribuiu com a cidade de Avaré .

Celso Giglio, falecido aos 76 anos, governou a cidade de Osasco por dois mandatos, segundo o prefeito atual Rogério Lins, e deixou a marca do desenvolvimento da cidade, pessoa correta, exemplar e muito competente. O prefeito Rogério Lins decretou luto oficial por 7 dias.

O Deputado Celso Giglio foi um político que contribuiu muito para a cidade de Avaré, até mesmo tendo propriedades aqui na região, onde além de obter boas votações, tinha boas amizades.

Celso Giglio era natural Campinas. Nasceu em 19 de fevereiro de 1941, filho de Antônio Giglio e de Maria Gatti Giglio. Foi casado com Glória Giglio, com quem teve cinco filhos e quatro netos.

Chegou a Osasco no início da década de 60. Médico, formado pela Faculdade de Medicina do Triângulo Mineiro, começou a trabalhar como médico concursado do antigo SAMDU (Serviço de Assistência Médica e Domiciliar de Urgência), e da Prefeitura de Osasco. Também passou pela superintendência da antiga FUSAM (Fundação de Saúde do Município de Osasco) e foi secretário de Saúde do município de 1977 a 1982.

Presidiu a Associação Paulista de Medicina – Regional Osasco, entre 1975 e 1977 e foi também presidente da FITO (Fundação Instituto Tecnológico de Osasco), entre 1977 e 1980.

A carreira política eletiva começou com a eleição a vereador em 1988, com a maior votação até então. Foi presidente da Câmara Municipal de Osasco, depois deputado estadual, prefeito por dois mandatos, deputado federal, Superintendente do IAMSPE e atualmente exercia seu terceiro mandato como Deputado Estadual.

Era um municipalista convicto, tendo ocupado a Presidência da Associação Paulista de Municípios – APM, por mais de dez anos. Defendia a necessidade de um pacto federativo mais justo e equilibrado, garantindo mais autonomia e poder de decisão aos municípios em diversas questões que ainda são da alçada do Estado e do Governo Federal.

Sua vida pessoal foi marcada por uma tragédia que comoveu toda a cidade de Osasco: a morte, num terrível acidente de carro, de sua esposa, Gloria Giglio, em 2013. Dr. Celso conduzia o automóvel quando aconteceu, no Km 165 da Rodovia Castelo Branco. Depois de ficar internado por várias semanas, voltou ao trabalho e à vida política, mas a saúde nunca mais foi a mesma.

(Informações da visão oeste)

Tags:

SEC AVARÉ

VEJA TAMBÉM

25 de setembro, 2017

CPI contra prefeito deve acontecer hoje na Câmara

25 de setembro, 2017

Apae realiza caminhada em comemoração ao mês de inclusão da pessoa com deficiência

25 de setembro, 2017

Feira da Educação será atração na Frea

25 de setembro, 2017

Câmara tem por obrigação investigar o executivo

25 de setembro, 2017

Advogado confunde liberdade de expressão com perseguição

25 de setembro, 2017

Delegado descreve sobre criminalidade em Avaré

25 de setembro, 2017

Antiético, secretário nega fontes em matérias do Semanário

25 de setembro, 2017

Avaré: uma cidade que teima em não crescer

25 de setembro, 2017

Corte de arvores faz avareense sentir mais calor

25 de setembro, 2017

Semanário erra e grafa errado o título da campanha do Refis

23 de setembro, 2017

Jô Silvestre “Crime contra a fé pública eleitoral e falsidade ideológica”

23 de setembro, 2017

Em nota, Prefeitura suspende cobrança de taxa de lixo

23 de setembro, 2017

Taxa de lixo: mais uma vez Prefeitura volta atrás

23 de setembro, 2017

Prefeitura suspende aulas de informática no ensino municipal

23 de setembro, 2017

ACIA convoca associados na luta contra Fest Country em dezembro

23 de setembro, 2017

Rotarianos e voluntários no plantio árvores

22 de setembro, 2017

Secretário usa emissora para defender governo

22 de setembro, 2017

Rádio vira extensão da Secretaria de Comunicação

22 de setembro, 2017

Investigação sobre sublocação de som faz parte da política

22 de setembro, 2017

Continuam pagamentos ilegais na Educação Municipal de Avaré

22 de setembro, 2017

Rejeitada mais uma denúncia sobre pintura de postes

22 de setembro, 2017

Aumento do Vale Alimentação será analisado pela Câmara

Ir para o topo