Desapropriação da Fazenda Água da Onça continua sub judice

Desapropriação da Fazenda Água da Onça continua sub judice Fonte da Foto: Foto ilustrativa

Depois de várias matérias publicadas aqui neste jornal sobre a suposta desapropriação da área de 68 alqueires da fazenda Água da Onça, a Prefeitura de Avaré ainda não conseguiu solucionar a desapropriação daquela área, depois de muita publicidade radiofônica.

No inicio de 2018 a Prefeitura chegou até mesmo colocar placas naquela área com dizeres que a área estava sendo desapropriada por via judicial, época em que esclarecemos a população sobre o caso depois de conversarmos com uma das advogadas de uma clinica que cuidou do proprietário da fazenda, Sr. Alberto Dabus Alani, onde chegou a falecer.

Na época o prefeito Jô Silvestre possivelmente se adiantou na informação, sem saber que a área estava sub judice e até mesmo penhorada pela dona da clinica que cuidou de Alberto Alani e de acordo com informações, agora a Prefeitura de Avaré entrou em um acordo com a dona da Clinica e até estaria depositando a quantia acordada em juízo.

Ocorre que quando tudo poderia terminar bem para a Prefeitura de Avaré, a informação que  entra no processo é uma senhorinha afirmando ser herdeira da área e que se dizia prejudicada, o que  teria mudado todo o rumo da história dos 68 alqueires; o juiz da causa suspendeu e mandou os interessados se manifestarem. Diante de tudo isso a dona da Clínica não pode retirar o dinheiro e a Prefeitura de Avaré não pode se tomar posse da fazenda.

Segundo a advogada da Clínica, ela já encontrou vários processos com envolvimento de mais pessoas nessa mesma causa. De acordo com uma das advogadas que cuidou do proprietário, esse processo possivelmente ainda demore muito tempo para sua conclusão. Por isso uma das razões do prefeito Jô Silvestre não mais falou nada sobre o assunto, desde que o Jornal do Ogunhê levantou os primeiros fatos sobre o caso.

Veja Também