Doria anuncia privatização de penitenciárias

Doria anuncia privatização de penitenciárias Fonte da Foto: divulgação / Governo de SP

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou que vai conceder presídios do estado à iniciativa privada. A medida era uma promessa de campanha do tucano. Ao todo, serão incluídos 171 presídios já em funcionamento, doze unidades em construção e três novos complexos que serão instalados durante a gestão do tucano.

Doria explicou que a negociação será feita no modelo de parcerias público-privadas (PPPs) e que terá implementação gradual. “Esse programa é modernizador. Ele tem mais eficiência e melhor controle, permite que o Estado coloque toda a sua força no entorno dos complexos penitenciários, não dentro”, disse, durante o anúncio nesta sexta-feira 18.

Segundo o vice-governador Rodrigo Garcia, que também ocupa a posição de secretário de Governo, a implementação será gradual. Neste primeiro momento, o edital atingirá quatro das doze em construção e os três complexos que serão iniciados a partir de agora. “O serviço é público, mas não precisa ser estatal”, argumentou Garcia.

De acordo com Doria, a atual mão de obra de agentes penitenciários poderá ser aproveitada pela iniciativa privada, mas não há garantias e isso ficará restrito aos que “forem eficientes”.

“O programa não desemprega. Ao contrário, vai preservar a mão de obra já treinada e preparada. Evidentemente, todos os que forem eficientes, correntes e honestos”, afirmou o tucano. Estima-se em cerca de 35 mil os servidores públicos da área.

O coronel Nivaldo Restivo, secretário estadual de Administração Penitenciária, afirmou que a nova gestão será pautada por critérios “de qualidade” e que a prioridade é melhorar as condições dos detentos e prover condições de trabalho, a fins de ressocialização.

“O aumento da oferta de trabalho é um dos pilares do plano de governo do nosso governo e a secretaria vai implementar. Da mesma maneira, a oferta de educação básica e profissionalizante, nesse novo modelo, permite o incremento maior, dando ao apenado condições concretas dele se profissionalizar, melhorar sua educação, e se preparar para o retorno à sociedade”, afirmou.

Veja Também