Foi-se o tempo em que rádio mandava na cidade

Foi-se o tempo em que rádio mandava na cidade Fonte da Foto: ilustrativa

Incompreensível o comportamento do Secretário de Comunicação, no programa de ontem, ao tentar justificar uma Moção de Repúdio contra ele e contra a emissora da esposa do deputado Campos Machado, que acabou se perdendo no final quando atacou um jornal virtual da cidade.

A estranheza se dá porque ele se alongou num discurso contra os vereadores (o que não deixa de ser um direito de expressão), mas ao mesmo tempo se colocou como membro da imprensa, tentando justificar sua posição que seriam mais políticas do que jornalísticas.

O mais estranho, aind,a é que o mesmo profissional reclamou do repúdio da Câmara a ele e contra a rádio, justificando como ataque à imprensa, mas ele  no mesmo programa se dedicou a usar de palavras ofensivas e injustas contra uma das mídias virtuais da cidade, derrubando a tese que ele vinha defendendo desde o início do programa, contra o Legislativo.

Assim, o Secretário prova que sua tese é rasa e não tem fundamento, muito menos sustentação, pois como ele pode reclamar de uma Moção de Repúdio, dizendo que é ofensa aos jornalistas, e poucos minutos depois ele mesmo passa a ofender um órgão de imprensa?

O mais incrível é que ainda menciona a palavra ingratidão, assunto sobre o qual ele precisa de muitas aulas ainda, pois, teoricamente, demonstra desconhecimento de causa.

Trata-se de um tema de interesse público e a imprensa de Avaré tem por obrigação levar ao conhecimento de seus leitores, tendo 300, 3.000 ou 15 mil visualizações, pois se fala a respeito de um assunto que está repercutindo na cidade, onde se discute um assunto relevante, enquanto a emissora e o secretário mostram que estão defendendo os interesses do atual governo e ignoram os problemas da cidade.

Na toada em que continua o Secretário de Comunicação, depois de ser chamado à razão e ter levado vários puxões de orelha (bem oportunos, por sinal) pelos vereadores, na sessão de segunda-feira, não está fazendo o mínimo esforço para resolver a sua situação com a Câmara de maneira cautelosa.

O que a população ouve é um discurso desgastado de uma pessoa que, a cada dia, vem, teoricamente, perdendo a credibilidade pela insistência de se achar dono de grande sabedoria jurídica e o melhor profissional de todos os tempos.

Entretanto, principalmente para quem ouviu mais uma vez o final do programa de ontem, o Secretário de Comunicação que usa a emissora da esposa do deputado Campos Machado, atacou gratuitamente um jornal virtual, o qual ele chamou de blog, mas esqueceu de que no passado queria ser sócio desse blog que na opinião dele, hoje não é visualizado, o que não é verdade.

Seu maior erro é se colocar como uma imprensa ofendida, com direito a ofender outro órgão de informação, uma contradição que leva a imprensa de Avaré a entender a postura como hilária. O Secretário de Comunicação está precisando de umas aulinhas de ética. E também precisa lembrar que já se foi o tempo que rádio mandava em uma cidade, basta ver que em algumas delas tem emissoras com quase meio milhão de reais em processos indenizatórios que, possivelmente, os proprietários até desconheçam.

Veja Também