Jô Silvestre evita diálogo com professores

Jô Silvestre evita diálogo com professores Fonte da Foto: arquivo

De acordo com informações, o prefeito tem evitado dialogar com comissão de professores municipais sobre o assunto de progressão, desta vez colocando o secretário de Administração para então receber a comissão, sendo que a reclamação é que o prefeito Jô Silvestre não estaria cumprindo o que a lei determina sobre Plano de Cargos e Carreiras da categoria, onde se encaixa agora a progressão dos professores.

O secretário de Administração foi taxativo afirmando que não existe qualquer condição para que a realização da progressão aos professores venha a acontecer, alegando não existir dinheiro, sendo que a primeira progressão desse direito da classe, segundo professores, deveria acontecer em 2017 e não ocorreu; então afirmam que o prefeito já descumpriu duas leis aprovadas pela Câmara de Vereadores.

Para o Jornal do Ogunhê  o secretário de Administração enviou informações que não há mesmo condições financeiras da Prefeitura fazer essa progressão e explicou que há intenção do prefeito em atender esse benefício do Plano de Cargos e Carreira e Remuneração da Educação Básica Municipal, mas infelizmente  nesse momento  visto que a EC de 12 de novembro de 2019, que alterou o sistema de Previdência Social e estabeleceu novas regras, ficou a cargo do Instituto de Previdência própria, que é o caso de Avaré, o pagamento de aposentadorias e pensão por morte aos beneficiários- argumentou o secretário.

Embora o secretário tenha feito afirmações comprovadas em documentos, para a classe do magistério de Avaré, essa versão não teria convencido os professores, pelo fato da verba para o pagamento dos professores vir através do FUNDEB, - Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação –dinheiro que vem do governo federal e que é destinado unicamente aos professores e a informação é que o FUNDEB em Avaré teria sim essa verba apropriada para o pagamento e segundo alguns professores as contas do FUNDEB estariam com excelente saúde financeira o que acabaria com toda essa situação, evitando uma greve se o prefeito viesse a cumprir essa progressão dos professores. A tendência é de ocorrer uma greve já no dia 3 de fevereiro.

Veja Também