Jornal salva prefeito de um vexame maior

Jornal salva prefeito de um vexame maior Fonte da Foto: Assessoria

Logo que o nome do advogado Marcelo Gurjão Silveira Aith começava a ganhar notoriedade em Avaré, uma das primeiras preocupações do Jornal do Ogunhê, foi começar a levantar a vida profissional desse causídico que, do nada, como já ocorreu com tantos outros, aparece na cidade ocupando cargo de grande relevância.

Novas ideias que começaram a surgir na atual administração fizeram com que o Jornal do Ogunhê ficasse mais atento, pois enquanto era preparada uma secretaria para Negócios Jurídicos, sendo Marcelo Aith o mais cotado para assumir o cargo; nessa mesma época, o Jornal do Ogunhê já tinha em mãos vários documentos que comprometiam o advogado, os quais já mostravam que por trás de tanta valorização do advogado, teria algo de errado.

Observamos que, no decorrer do tempo, o advogado continuava ganhando notoriedade, já sendo Consultor Geral da Prefeitura e que ganhava mais publicidade com sua frequência como representante da Prefeitura, em defesa na CPI da Fampop.

Durante a finalização desse processo na Câmara, o Jornal do Ogunhê apurou que o advogado Marcelo Aith, respondia a uma ação de repatriamentos financeiros da empresa Agroex Comércio Internacional Ltda., em que o advogado em questão teria recebido da empresa 600 mil reais para pagar custas da repatriação, mas que não o fez e causou maiores danos à empresa.

A notícia caiu como uma bomba depois de publicada no Jornal do Ogunhê, no dia 8 de novembro, e nesse mesmo dia, não apenas o advogado Marcelo Aith, como também o secretário de Comunicação e o assessor do prefeito Valdinei Muniz, vieram ao encontro deste editor, com pedido de direito de resposta. Durante o encontro, uma espécie de ameaça ou intimidação foi protagonizada pelo assessor Valdinei Muniz, sugerindo o início de uma discussão, que preferimos evitar, pois ele mão estava no bojo da matéria.

Mas o tino investigativo do Jornal do Ogunhê só ganhou proporções quando publicou em primeira mão a criação de uma Secretaria que poderia cair nas mãos do advogado Marcelo Aith. A matéria ganhou destaque por mostrar falhas incríveis, podendo colocar o advogado como “Primeiro Ministro” da cidade, mas a Câmara também teve seu poder decisivo não aprovando a criação.

Dessa forma, deixando os demais comentários para uma próxima matéria, cabe-nos o direito de esclarecer ao senhor Prefeito Jô Silvestre, ao secretário de Comunicação que cumprimos uma função jornalística de cunho investigativo, pois caso contrário, dentro de tudo que ocorreu, se a Câmara por algum problema errasse e criasse essa Secretaria, o vexame seria bem maior ao prefeito e também para uma cidade que tem costume de acreditar no primeiro que aparece.

Veja Também