Máfia do Usucapião foi desvendada em 2010

Máfia do Usucapião foi desvendada em 2010 Fonte da Foto: divulgação

Para quem não sabe, as pessoas que tiveram privilégio dentro da Prefeitura, servindo-se do setor de cadastro para apoderar-se de áreas e imóveis, na época responderam a processo, após terem utilizado o sistema da Prefeitura. O Jornal do Ogunhê possui dados desde aquela época, possivelmente no ano de 2010, quando a Máfia do Usucapião foi desvendada pelo advogado Luiz Carlos Dalcim, que foi chefe da procuradoria de 2009 a 2012.

Na época, este jornalista apurou e descobriu e até publicou em algum jornal da cidade, depois de ter trabalhado em todos os jornais de Avaré, quando o advogado Luiz Carlos Dalcim conseguiu um programa digital sem custo algum para Prefeitura, através da Prefeitura de Jacareí, programa digital que, se colocado um uso na Prefeitura de Avaré, com certeza, não haveria tanto descontrole como é observado atualmente.

O fato é que, naquela época, servidores que ocupavam cargos expressivos na Prefeitura de Avaré foram contra esse programa que se transformaria em um fiscal diário sobre a contabilidade e as transações financeiras feitas pela Prefeitura, porque iria aparecer o nome da pessoas (servidores), toda a movimentação diária seria conhecida imediatamente com entrada e saída de valores e registros de documentações.

O que causa imensa estranheza é que, desde aquela época, que beirava 2010, chegando até hoje, quando a maioria das Prefeituras da região recebeu o sistema de informatização, o que temos é uma Prefeitura com sistema digital supostamente falho, que permite, teoricamente, que não se consiga levantar documentos e muito menos a movimentação financeira, seguindo o padrão mais antigo e arcaico, lembrando ainda os velhos tempos em que tudo era em fichas e livros, sendo que hoje a informática toma conta de tudo. Uma das provas da necessidade de informatização da Prefeitura de Avaré aparece agora na CPI da Dívida Ativa, em andamento na Câmara.

Veja Também