Moradora, que vereador mandou calar a boca, mostra sua indignação

Moradora, que vereador mandou calar a boca, mostra sua indignação Fonte da Foto: reprodução

A Câmara de Vereadores de Avaré ao liberar a palavra livre a qualquer cidadão que queira fazer uso no sentido de reclamar ou solicitar melhoras para seu bairro, tem colocado em xeque vereadores que acham que pela força da imunidade parlamentar podem falar e fazer o que bem entendem em plenário, como se todas as pessoas tivessem que ter medo da sua maneira agressiva de falar.

Pela primeira vez, possivelmente é que alguns cidadãos que se sentem prejudicados pela péssima atuação do poder público, descobriram que a liberdade de expressão e o seu direito de reclamar podem, sim, fazer a diferença agora em Avaré, porque suposta intimidação de alguns vereadores não vai assustar ninguém, deixou claro a cidadã Marilene Silva que usou da tribuna novamente.

Marilene Judite da Silva, moradora do bairro Jardim Califórnia, que, em uma sessão anterior, vereador no uso da palavra mandou-a se calar, explicou que não estava falando com o vereador, mas, sim, com uma pessoa que estava sentada ao seu lado naquela sessão.

Na sessão de segunda-feira, dia 12, Marilene da Silva fez questão de se inscrever para fazer uso da palavra, contestando o comportamento do vereador que mandou ela calar a boca e por certo nada vai acontecer porque o parlamentar, teoricamente, se escondeu atrás da imunidade parlamentar para atacar a mulher.

A moradora aproveitou para relatar outros acontecimentos no bairro e que nenhuma máquina apareceu no bairro e  deixou registrada a sua indignação sobre a atitude do vereador que a mandou calar a boca.

Veja Também