Na época empresa enviou esclarecimento sobre o repúdio

Na época empresa enviou esclarecimento sobre o repúdio Fonte da Foto: ilustrativa

No dia 21 de dezembro de 2018, a Prefeitura de Avaré, em conjunto com outros 6 municípios da região (Arandu, Cerqueira César, Itaí, Itatinga, Paranapanema e Taquarituba) emitiu nota de repúdio à empresa CTG Brasil, concessionária hoje responsável pela exploração comercial das águas da Represa de Jurumirim.  

Em resposta ao repúdio, a CTG Brasil, na época, enviou uma nota ao Jornal do Ogunhê esclarecendo que os níveis de vazão dos reservatórios das usinas de Jurumirim e Chavantes são determinados por um órgão regulador, o Operador Nacional do Sistema (ONS). A empresa mantém as operações de suas hidrelétricas em conformidade com os despachos da entidade, que coordena o uso de água para a produção de energia, a utilização dos reservatórios e a abertura de comportas dos vertedouros de todos os empreendimentos de geração elétrica do País.

As decisões do ONS levam em consideração, além do uso múltiplo do reservatório, os níveis dos demais reservatórios do Sistema Interligado Nacional (SIN).

Vale ressaltar que a companhia mantém análises constantes das águas de suas represas. Com isso, é possível afirmar que a operação das usinas não traz prejuízos ao meio ambiente e à fauna aquática, e o nível do reservatório não afeta a população de peixes da região.

Para informar a população sobre a previsão de chuvas e a possibilidade de baixo nível dos reservatórios, a CTG Brasil realizou, no final de 2018, encontros com as comunidades e continua disponível para esclarecer qualquer dúvida dos moradores da região por meio do número 0800 770 2428.

A empresa informou também que não foi formalmente notificada pela Prefeitura ou por qualquer outro órgão competente.

Veja Também