Pelo 3º ano seguido Avaré não apresenta encenação da Paixão de Cristo

Pelo 3º ano seguido Avaré não apresenta encenação da Paixão de Cristo Fonte da Foto: ilustrativa

Cidade ainda fortemente influenciada pela tradição católica, a Estância Turística de Avaré, entretanto, teve riscado do seu calendário cultural um evento muito significativo: a encenação da Paixão de Cristo, até 2016 organizada pela Prefeitura, através da Secretaria da Cultura.

Promovida graças ao entusiasmo do ator Gilson Câmara, que esteve à frente do setor cultural por oito anos, a celebração teatral do grande episódio religioso foi crucialmente eliminado na atual gestão do prefeito Jô Silvestre, cuja prioridade é restrita à realização da Emapa.

Encenado ao ar livre, no Campo Municipal, o drama da Paixão de Cristo atraía milhares de pessoas, incluindo turistas. A Prefeitura, na época, investia na preparação do evento garantindo a estrutura para que tudo saísse bem e agradasse a comunidade, incluindo cristãos de todas as confissões.

Inexplicavelmente, desde 2017, pode-se dizer que Cristo deixou de ressuscitar em Avaré, pois os governantes atuais, despreocupados, ignoram o valor dessa celebração religiosa e a deixaram de fora para tristeza de atores amadores e de vários grupos teatrais, os quais se realizavam na interpretação de tantos personagens épicos da história cristã.

Neste ponto, Jô Silvestre, cuja assessoria é fraca, sequer segue o exemplo do próprio pai, pois na gestão de Joselyr Silvestre a Prefeitura investiu pesado nesse evento, uma vez que na época até o setor de Turismo aplicava recursos para que a Paixão de Cristo fosse marcante para Avaré. Porém, nem secretário titular de Turismo o município conta hoje, quanto menos se reconhece o valor da crença na ressurreição.

Interessante é que com a imagem de Cristo que existe no ponto alto da cidade, a preocupação de Jô Silvestre é muito grande ao ponto de mandar lavar e pintar, o que demanda gastos, bem mais caros que uma bem preparada encenação da Paixão de Cristo, que se trata de um turismo religioso. A sociedade apenas quer saber o que os responsáveis pelo turismo de Avaré estão fazendo, se não se observa a boa vontade de uma equipe que não mostra nada para quem no feriado escolhe Avaré para essa data.

Veja Também