Políticos repassam concessões de rádio e TV para parentes

Políticos repassam concessões de rádio e TV para parentes Fonte da Foto: Ilustrativa

Deputados federais e senadores que eram sócios de emissoras de rádio ou TV repassaram as cotas de sociedade para filhos, irmãos, pais e aliados políticos. A matéria foi publicada na Folha de São Paulo agora em julho passado.

As transferências foram feitas após a instauração de uma série de inquéritos e de ações civis públicas, movidos pelo Ministério Público Federal em 2015, questionando as concessões em nome de parlamentares.

A Constituição diz que eles não podem firmar e manter contratos diretos com a administração pública ou ser concessionários de serviços públicos.

No entanto, há entendimentos diversos no Judiciário sobre a legalidade do repasse de ações de emissoras de políticos a seus parentes.

A reportagem procurou todos os 29 deputados e senadores, alvos de ações, mas a maioria não respondeu.

Jader Barbalho disse que transferiu suas cotas, mas não comentou a ação que suspendeu a emissora.

Tasso Jereissati informou apenas que "se desfez das ações de uma rádio e uma TV".

Beto Mansur, o mesmo. Baleia Rossi afirma que não tem participação desde que assumiu na Câmara.

Segundo ele, seu irmão comprou as ações e é um "reconhecido profissional de comunicação".

Diz que a decisão contra a emissora usa " suposições e especulações".

Apesar das contestações judiciais, há políticos que continuam no quadro societário de rádios e TVs. Eles alegam que as restrições seriam apenas para exercer cargos executivos na direção das empresas.

 

Veja Também