Prefeito tenta ignorar prerrogativas da Câmara

Prefeito tenta ignorar prerrogativas da Câmara Fonte da Foto: assessoria

É comum atualmente escutarmos pessoas que não têm o mínimo conhecimento de como funciona um poder Legislativo e para aqueles que têm ligação direta com o prefeito e, por questões partidárias, deixam de lado a coerência e passam a culpar a Câmara de Vereadores como se fosse a responsável pela decadência que a cidade vem enfrentando desde que Jô Silvestre assumiu a Prefeitura.

A suposta confusão que o prefeito Jô Silvestre vem semeando desde que assumiu a Prefeitura já faz com que a população entenda, a começar pela terceirização da coleta do lixo onde os problemas continuam. Pior ainda é arrumar uma bela encrenca com os caminhoneiros e que pelo que consta o caso ainda não teria sido sacramentado, tanto que as placas continuam no mesmo lugar.

Mas, diante de tudo isso o que vem chamando a atenção é o grande interesse do prefeito em fazer o que quer achando que pode tudo, sem autorização da Câmara, como o que ocorreu, recentemente, em que o prefeito na tentativa de teoricamente passar o legislativo para trás, tentou juridicamente alegar inconstitucionalidade afirmando que não haveria necessidade de autorização da Câmara para a Prefeitura celebrar convênios celebrados fora do previsto pela lei.

Desta vez, Jô Silvestre levou uma invertida e na defesa feita pela Câmara que, de acordo, com a relatora desembargadora Cristina Zucchi, destacou que a exigência de autorização do Legislativo foi reconhecida até mesmo pelo Supremo Tribunal Federal. No entanto se confere que o prefeito estaria receioso porque já fez em 2018 alguns convênios com alguns municípios da região, quando a Câmara havia rejeitado o projeto de autorização, derrota que poderá levar Jô Silvestre a responder por improbidade administrativa.

Veja Também