Gilberto Empreendimentos
São Pastel
Lorsa
Arpoli
Maré
Alecrim

Prefeito tenta negar participação no caso Fampop

Prefeito tenta negar participação no caso Fampop Fonte da Foto: Divulgação

O Prefeito Jô Silvestre se sentiu ofendido quando este jornal narrou que ele também estaria sendo investigado na CPI da Fampop e iniciou um processo contra este jornal, afirmando ser a notícia inverídica e que sentiu sua honra atacada pelo jornalista.

Mais do que a luz que brilha durante o sol da manhã é de conhecimento público que embora o prefeito não tenha sido citado, isso não quer dizer que estará isento de qualquer responsabilidade. Os fatos narrados pelo jornal não deixam de ser verdadeiros ao informar o envolvimento do prefeito no caso da CPI da Fampop.

A comprovação de que a CPI acabaria chamuscando o nome do Prefeito Silvestre foi que, com receio que o drama fosse maior, contratou seu cunhado Frederico Poles da Cunha como advogado particular, o que levou a opinião pública a entender sua ligação com o caso.

Por outro lado, não se observa qualquer tipo de ofensa o fato de qualquer jornal citar o nome do prefeito sobre a o evento, que de qualquer forma a resposta do Ministério Público vai terminar em sua mesa no gabinete no Paço Municipal.

Cabe neste contexto esclarecer ao Prefeito Jô Silvestre que seu ex-consultor Jurídico (reconhecido pelo Secretário de Comunicação como gente boa) se encontra preso e, possivelmente, antes de ser detido, não teve a oportunidade de contar ao prefeito, que a responsabilidade pela gestão pública é sempre do prefeito municipal, que ele (Jô Silvestre) é o ordenador primário de despesa. E também possivelmente o ex-consultor jurídico não teve tempo de contar ao prefeito que o direito de expressão e liberdade de pensamento é uma garantia constitucional, portanto, não existindo crime ou ofensa narrarmos o envolvimento do prefeito no caso Fampop, cuja CPI, segundo vereadores, mostra, sim, sua total responsabilidade no caso, como cita o relatório.

Veja Também