Prefeitura nas gestões Silvestre, um arrocho que ninguém esquece

Prefeitura nas gestões Silvestre, um arrocho que ninguém esquece Fonte da Foto: Assessoria

O Ex-Prefeito Benedito Joselyr Benedito Silvestre, pai do atual Prefeito Jô Silvestre, nunca  cumpriu com o reajuste dos servidores públicos municipais nem ao menos repasse da inflação, quanto mais aumento real. Mas o IPTU e TAXAS municipais não deixaram de ser reajustadas na época do Ex-Prefeito. Foram praticamente 8 anos do pai e mais um ano, agora do filho.

Sabe quando o funcionários municipais perderam nesses 9 anos? Fazendo uma conta com um valor fictício, sobre um R$ 500,00 em janeiro/1997 quando o pai assumiu a primeira vez. Vamos por um índice de 6% ao ano (percentual que a maioria das categorias teve).

1997 a 2000 (1º governo Silvestre, pai): salário R$ 500,00 deveria estar no valor R$ 649,10 em dezembro/2000.

2005 a 2008 (2º governo Silvestre, Pai): o salário de R$ 649,10 em janeiro/2005 deveria estar no valor de R$ 819,47 em dezembro/2008.

2016 a 2017 (1º governo Silvestre - Filho): o salário de R$ 819,47 em dezembro/2008 deveria estar no valor de R$ 868,84 em janeiro/2018. Nas gestões Wagner Bruno e Rogélio Barchetti houve reajustes. 

Nas gestões Joselyr - pai e Jô Silvestre - filho, o servidor público da Prefeitura de Avaré sofreu um arrocho salarial enorme e a perda  acumulada é de 73% - como exemplo, salário de R$ 500,00 em janeiro/1997 deveria estar em R$ 868,84 janeiro/2018. Simples, pega seu salário hoje e calcula um reajuste nesse percentual você vai ver o quanto está perdendo.

Tem funcionários que diz: "eu prestei concurso, saí de uma empresa e vim para a prefeitura, ganhando mais, o equivalente a 3 salários mínimos da época. Hoje eu não ganho nem dois e meus colegas que estão na empresa ganham mais que eu...".

Se tem dúvidas quanto a essa perda, peça ao Sindicato para fazer estes cálculos. Arrocho salarial é tirar o pão da boca do trabalhador, tirar a comida da mesa dele. Tira a oportunidade de ter uma vida melhor. E mais ainda, são 3 mil famílias que dependem disso, a cidade de Avaré também perde muito, quando o poder aquisitivo dos trabalhadores cai. Entretanto, parece que ninguém quer falar nisso. 

Veja Também