Processo: Jô Silvestre pode estar próximo de perder os direitos políticos

Processo: Jô Silvestre pode estar próximo de perder os direitos políticos Fonte da Foto: Assessoria

Na tarde de ontem, 21 de fevereiro, foi publicada no sistema do Tribunal Regional Eleitoral mais uma movimentação no processo em que Joselyr Benedito da Costa Silvestre, Jô Silvestre, é acusado pelo Ministério Público Eleitoral, após ter sido denunciado pelo editor desse jornal, Wilson de Oliveira Ogunhê.

A denúncia basicamente é que Jô Silvestre teria ocultado documentação, no pleito do executivo municipal 2016, bem como recursos financeiros gastos em campanha, provas amplamente apresentadas na época.

Vale lembrar que Ação Penal como essa não é novidade na vida política de Jô Silvestre que já foi condenado por Falsidade Ideológica e má fé num passado recente e teve o benefício de substituir a pena por multa.

A possível condenação, com reincidência específica pelo "Art. 350. Omitir, em documento público ou particular, declaração que dele devia constar, ou nele inserir ou fazer inserir declaração falsa ou diversa da que devia ser escrita, para fins eleitorais" tem pena prevista de reclusão até cinco anos e pagamento de 5 a 15 dias-multa.

Caso Jô Silvestre venha ser condenado, novamente, supostamente poderá dividir cela com o próprio pai (atualmente cumprindo pena em prisão domiciliar) e por um fim desastroso à carreira política da família Silvestre.

O Jornal do Ogunhê acompanha com responsabilidade e transparência o processo e traz com exclusividade a situação que tramita na Justiça Eleitoral.

Jô Silvestre já substituiu o advogado Marcelo Gurjão Silveira Aith (recentemente preso pela operação fumaça do GAECO) pela experiente advogada Ivete Maria Ribeiro Silva e deve apresentar defesa nos próximos dias.

Veja Também