Quando o interesse pessoal fala mais alto

Quando o interesse pessoal fala mais alto Fonte da Foto: Ilustrativa

O secretário de Comunicação da Prefeitura de Avaré vem fazendo um verdadeiro malabarismo para defender o prefeito, nem que para isso precise atacar indiscriminadamente setores da imprensa, sem argumentos que possam oferecer à população uma versão verdadeira.

Aquele que deveria ser o contato do governo com a imprensa mostra total desconhecimento da função que ocupa, colocando-se como inatingível, como se fosse agora o dono da verdade, não aceitando ser contrariado pela imprensa, com quem seu relacionamento é zero.

Possivelmente, o prefeito ainda não percebeu que não existe comunicação em seu governo e, como dizia Chacrinha, “quem não se comunica se trumbica” e isso já vem ocorrendo com o atual prefeito. O secretário conseguiu algo inusitado que levou a população avareense a conhecê-lo definitivamente, depois que brigou com a imprensa e com a Câmara de Vereadores.

Quem sempre acompanha nosso trabalho aqui no Jornal do Ogunhê tem percebido que relatamos fatos que ocorrem nesse governo e mesmo que fosse outra pessoa investida no cargo, sofreria a mesma investigação de nossa parte, porque entendemos o que é liberdade de expressão, muito diferente de ataques pessoais.

Nossa preocupação é com fatos e não com pessoas, por isso não podemos concordar com o secretário que agora faz das tripas coração para defender aquele que ele mais detestou na vida, o atual prefeito Jô Silvestre. Quanto ao caso do adiantamento de diárias são lamentáveis os argumentos de um secretário que esquece fatos com a maior naturalidade, depois de mostrar a que veio.

Quem não se lembra do quanto foi criticada a vice-prefeita Bruna Silvestre que, quando presidente da Câmara, seu motorista retirava um mísero valor de 600,00 reais como adiantamento para viagem da presidente a São Paulo? O atual secretário de Comunicação chegava a perder o folego, criticando seus gastos, até mesmo em restaurantes.

Para que nossos leitores entendam, na época, o atual secretário de Comunicação criticava com veemência o apertado valor retirado, mas, agora, dois servidores que, supostamente, não poderiam sequer solicitar retirada para custeio de viagem chegam a retirar a quantia de 5 mil reais ele diz, sem qualquer cerimônia, que isso é permitido, é legal.   

Perde-se em argumentos, não percebendo que a sociedade já está completamente ciente de seu péssimo comportamento como secretário, uma vez que considera que o prefeito Jô Silvestre hoje tudo pode, mas não podia em governos passados.

Veja Também