Represa de Avaré: não temos o controle da situação

Represa de Avaré: não temos o controle da situação Fonte da Foto: Divulgação

Da mesma forma que os tocos das antigas árvores estão expostos com a baixa do nível da água da represa, também a falta de liderança do prefeito de Avaré está exposta. Jô Silvestre não consegue agregar e reunir os prefeitos das cidades banhadas pela represa para organizar uma pressão com possibilidades de influenciar a concessionária CTG Brasil.

A vinda de representantes da gigante da energia chinesa para expor dados técnicos não convenceu ninguém e, ao invés de pressionar, Avaré e as cidades da região ficaram refém de dados complexos e informações de difícil compreensão.

Avaré é uma estância turística onde a quase totalidade da população não conhece o secretário de Turismo e não se vê no dia-a-dia do prefeito Jô Silvestre valorização de políticas para incentivar o turismo. O gravíssimo problema da represa parece não incomodar o centro do poder sediado no Paço Municipal, já que a prioridade absoluta é o problemático "Arenão", qual buraco suga toda a verba destinada ao Turismo em Avaré.

Muito se perde com a seca da represa e por fraqueza dos políticos preocupados com sonhos populares somados à finalidade mercantil da geração de energia, o controle da situação não está em Avaré, nem no Paço Municipal e nem na Câmara de Vereadores.

Certamente, quando chover e o nível da represa subir alguns pontos, os políticos agirão com a costumeira hipocrisia e divulgarão exaustivamente que foram eles os responsáveis. O Jornal do Ogunhê e a sociedade regional aguardam esse momento.

 

Veja Também