Seccional de Polícia de Avaré já com 10 anos de ISO 9001

Seccional de Polícia de Avaré já com 10 anos de ISO 9001 Fonte da Foto: Assessoria

A delegacia é única instituição policial civil do Brasil a manter a certificação por uma década

Na última sexta-feira, dia 22/11, a Delegacia Seccional de Polícia de Avaré passou por mais uma auditoria para recertificação de seu sistema de gestão da qualidade. O ato foi executado pela Fundação Vanzolini que, após análise, recomendou a manutenção da certificação ISO 9001:2015. Com isso, a Seccional de Avaré completou 10 anos consecutivos de modelo de gestão. A matéria é do site A Voz do Vale.

Foram avaliados vários requisitos da norma, tais como conhecimento organizacional, planejamento de mudanças, riscos, oportunidades e gestão de recursos. De acordo com o auditor Edilson Ebinger Garcia, “o sistema de gestão da qualidade da unidade está cada vez mais amadurecido, com os processos solidificados, demonstrando que todos os funcionários estão cientes de seu papel para manter a eficiência dos serviços prestados ao cliente”, frisou.

Para o seccional Rubens César Garcia Jorge, “a norma tem sido uma ferramenta indispensável para o estabelecimento de metas para a atividade fim da Polícia Judiciária, bem como o acompanhamento da execução dos serviços e avaliação dos resultados alcançados pelas Delegacias de Polícia dos 16 municípios subordinados à Seccional”.

Participaram da auditoria todos os envolvidos com a utilização da norma ISO, em especial o delegado assistente Jorge Cardoso de Oliveira, o escrivão chefe Clóvis Kazunori Yamatsuka, o investigador chefe Alexandre Novaes Costa Aurani, bem como o investigador Fernando Mantovani Tavares, responsável pelo sistema de gestão da qualidade na Delegacia Seccional, bem como o seccional Rubens Jorge

Pioneirismo – A certificação ISO 9001 foi conquistada em 2009 pela Delegacia Seccional de Avaré, quando o delegado seccional era o Vagner Bertoli. A primeira recertificação ocorreu três anos depois, na gestão do delegado seccional Jorge Cardoso de Oliveira. Em 2015, a reavaliação foi marcada pela ampliação do escopo da norma, que passou a incluir o monitoramento dos trabalhos de investigação.

Veja Também