Secretária de Educação quer tentar calar jornal

Secretária de Educação quer tentar calar jornal Fonte da Foto: divulgação

O comportamento da secretária de Educação, Josiane Medeiros, em uma atitude mais que radical com indícios de retaliação contra uma vereadora e contra o Jornal do Ogunhê poderá trazer problemas maiores para a sua função, como também para o prefeito Jô Silvestre.

Tivemos acesso a uma gravação onde a secretária e alguns professores em reunião com pais de alunos, onde o contexto era sobre a denúncia da vereadora Adalgisa Ward, cuja matéria foi apurada por este jornal e mostrava fatos reais e ilegais da Secretaria de Educação.

Todos sabem que é proibido por lei ônibus escolar fazer transporte para alunos de escolas particulares, se não existe um convênio ou um documento que autorize alunos a utilizarem o veículo. O interessante é que até mesmo a secretária Josiane Medeiros tem pleno conhecimento disso, tanto que, na gravação da reunião, reconhece por três vezes ter errado.

Fizemos um jornalismo sério, tanto que quem tirou a foto e quem conseguiu as carteirinhas foi este jornalista, documentos que dão comprovação do erro cometido, carteiras com autorização da própria secretária Josiane para que alunos de escolas particulares pudessem utilizar o veículo.  Na gravação da reunião, as críticas contra o jornal são estranhas, como se a imprensa estivesse atrapalhando o trabalho da Secretaria de Educação, isto porque davam a entender que o jornal havia faltado com a verdade e a gravação mostra raiva e ódio de algumas pessoas contra este jornal.

O que não podemos aceitar é que, pelo fato de termos publicado a matéria anteriormente sobre o uso indevido do ônibus escolar municipal, se crie uma retaliação à verdade, sendo que na reunião com pais de alunos a própria secretária reconheceu ter agido errado.

O que a secretária não sabe é que ao fotografar a garota entrando no ônibus escolar, tomamos o devido cuidado de não mostrar o rosto e muito menos citar o nome da escola. Mas também é necessário esclarecer que antes de tudo conversamos com a diretora da escola que declarou não existir nenhum convênio com a Prefeitura para esse tipo de transporte.

 O caso em tela levantado pelo Jornal do Ogunhê e levado ao conhecimento da vereadora Adalgisa Ward é um fato real, levantado por um jornal que sabe o que é liberdade de expressão e tem plena certeza de ter feito o seu papel.  Não fizemos mais do que nossa obrigação e também a vereadora não está fazendo mais do que lhe é pertinente, que é fiscalizar um setor público.

Sobre esse caso, o Jornal do Ogunhê se coloca à disposição de qualquer pai que se sentir atingido pela matéria para que possamos esclarecer da forma mais simples possível que o jornal se ateve ao caso de transporte ilegal de alunos que estudam em escolas particulares e que não têm convênio nem com a Prefeitura, muito menos com o Estado.

Veja Também