Sindicato sai em defesa do servidor público

Sindicato sai em defesa do servidor público Fonte da Foto: arquivo

Há alguns dias, um servidor da Prefeitura de Avaré, em um rompante, teceu algumas críticas à atual administração avareense por meio de sua conta em uma conhecida mídia social. Essa ação gerou, na sequência, a abertura de uma sindicância para apurar os fatos.

As investigações estão sendo conduzidas pela Procuradoria do Município com base nas alegações do Artigo 163, inciso XVII, do Estatuto do Servidor Municipal. Conforme aponta o texto jurídico, é vetado aos trabalhadores da Prefeitura de Avaré praticar sabotagem contra o Serviço Público.

“O termo sabotagem é bastante amplo. Nós, do Sindicato dos Servidores e Funcionários Públicos Municipais de Avaré e Região, por meio de nossa assessoria jurídica, estamos analisando a situação e a forma de defesa dos direitos desse trabalhador, que nada mais fez do que manifestar sua insatisfação quanto aos problemas que todos nós conhecemos como o constante atraso no pagamento dos salários e as condições indevidas de trabalho às quais somos obrigados a nos submeter”, destacou o presidente da entidade classista, Leonardo do Espírito Santo.

“Quem sabota tem, por fim, prejudicar ou provocar prejuízos ou dano. Ele, por exemplo, não pegou o celular do chefe do Executivo e mandou mensagens provocativas para ninguém: achamos que isso, sim, seria um exemplo de sabotagem. Não vemos a questão como apontado pela Prefeitura e nos basearemos nisso em nossa defesa”, frisou o sindicalista.

Para ele, além do mais, a punição é desmedida, pois atinge uma pessoa simples do Serviço Público e prova que, na Prefeitura, existem dois pesos e duas medidas. “Querem fazer valer todas as prerrogativas do Estatuto? Perfeito: comecem a punir os funcionários que trabalham, debaixo do nariz do Executivo, com sua esposa em um mesmo departamento, o que é vetado pelo regimento. Por que quem manifesta sua opinião é punido e quem rasga o Regimento, dia após dia, não o é”, questionou Leonardo.

Veja Também