Vi Cortez obtém vitória inédita na Justiça de Avaré

Vi Cortez obtém vitória inédita na Justiça de Avaré Fonte da Foto: Face

A ex-vereadora Vi Cortez obteve uma importante vitória na Justiça de Avaré. Ela é a primeira pessoa a ter o direito de corrigir seus documentos pessoais e passar, oficialmente, a se chamar Victoria Cortez.

Victoria nasceu homem e foi registrada como Eduardo Davi Cortez, porém, conseguiu na Justiça o direito de ser reconhecida como mulher. Ela é a primeira transexual de Avaré a ter esse direito reconhecimento oficialmente.

No dia de ontem, 13 de novembro, Victoria Cortez divulgou uma nota agradecendo a todos que a ajudaram nesta importante condição. “Sou uma pessoa bastante conhecida pela comunidade avareense, venho de uma família tradicional e, estou certa de que minha índole, caráter e valores dão tranquilidade à minha consciência”, disse.

Vi foi vereadora na gestão passada e diz que sua voz ecoou na Câmara por diversos motivos, mas, reconhece que, sem dúvida, sua transição de gênero, durante seu mandato, acabou trazendo muitos debates e discussões a respeito.

Ela foi a primeira vereadora do Brasil a fazer uma transição de gênero durante o mandato.

“Na Câmara, consegui mudanças significativas, que garantem o direito à dignidade da pessoa humana e aos direitos individuais. A partir daí, foi baixado um decreto municipal tratando sobre o uso do nome social no âmbito da administração pública direita e indireta, decreto esse que, dele, pouca gente tem conhecimento. Minhas lutas continuaram dentro e fora da política, com o apoio e a compreensão de grande parte da imprensa local, que se mostrou despida de preconceitos e hipocrisia, bem como de grande parcela da população avareense”, diz Cortez.

Este mês, através de uma ação judicial pioneira em Avaré, conduzida pelo advogado Ronivaldo Simão, Victoria conseguiu a retificação do seu nome e gênero nos documentos oficiais. “O juiz da Estância Turística de Avaré, Luciano José Foster Junior, titular da Segunda Vara Cível, julgou favorável a ação, com um parecer muito bem fundamentado, garantindo meus direitos individuais e minha dignidade como pessoa humana, mostrando que a verdadeira justiça, além de cega, é desprovida de pré conceitos. A promotora de justiça de nossa Comarca, Giovana Marinato Godoy, também se mostrou bastante humanista, não interpondo recurso no Tribunal de Justiça. Portanto, deixo aqui minha admiração e meu agradecimento público ao Poder Judiciário, ao Ministério Público, ao meu advogado Ronivaldo e aos amigos médicos e profissionais da saúde que fizeram o meu acompanhamento”, agradece a ex-vereadora.

Vi finaliza sua carta de agradecimento dizendo que espera, daqui para frente, poder viver com dignidade, uma vez que seu caráter e seus valores permanecem intactos.

 

Veja Também