7 de abril

Jô Silvestre não abre mão da terceirização da coleta de lixo mesmo que para isso precise fazer um rateio nas contas da Prefeitura colocando na berlinda até verbas de precatórios.
  O caso como já foi publicado na imprensa já foi parar nas mãos do Ministério Público de Avaré, para que o prefeito explique qual o fundamento de não ter verba para a terceirização e fazer esse rateio nas contas.
  E o secretário de Comunicação que também está sendo denunciado junto com Michelle, para que explique no Ministério Público, que estão confundindo benefício com obrigação, no caso dos kits escolares.
  Esqueceram de ler a Constituição Federal antes de expor opiniões de defesa, com isso caindo ao ridículo e ouvindo e lendo críticas de internautas, por mais esse erro grosseiro na rede social.
  Para a terceirização da coleta de lixo o prefeito vai usar até verba de precatórios que são para pagar dívidas que a Prefeitura assumiu e não pagou, por isso a razão da seriedade da denúncia ao MP.
  Lembrando-se daquele ditado antigo “Mais perdido do que cego em tiroteio”, o prefeito de Avaré no mesmo dia consegue passar duas informações diferentes da mesma coisa para a imprensa de Avaré.
  A primeira notícia é que a Secretaria de Saúde consegue prorrogação de mais um ano na obra da UPA, no mesmo dia a Prefeitura informa que em breve será retomada a continuidade da obra.
  Pelo que foi publicado pela imprensa não se observa nenhuma vantagem na municipalização do Horto Florestal, quando é sabido que a Prefeitura não vai ter liberdade para fazer eventos a hora que quiser.
  Não tem nada de municipalização do Horto, mas sim uma cessão de uso, mas com um contrato super unilateral, sempre sendo bom para o governo do estado e ruim para Avaré.
  E na Câmara nem se fale, quando se nota que a base do prefeito está totalmente desarmada de argumentos para defender o prefeito, que até o líder Morelli já está falando em fatos nacionais.
  As críticas contra a Câmara que eram feitas por gente ligada ao prefeito começaram a cessar e tudo porque não tem como criticar quem mostra com razão como a cidade está sendo administrada.
  E continua repercutindo na cidade o fato do prefeito gastar mais de 700 mil em mão de obra para pintar poste, quando não tem dinheiro nem para comprar papel higiênico para alguns setores.