30 de março

 

No programa do Jornal do Meio Dia de quarta-feira o vereador e radialista Ripoli, mostrou à população avareense  sua total ignorância social, ao afirmar que ‘Depressão é coisa de viado’.  A declaração caiu como uma bomba na cidade.

 

O vereador/radialista abre uma polêmica muito triste para sua história de homem público e de comunicação, deixando patente não ter verdadeira intimidade com um microfone e que é pior, desconhecer totalmente uma doença mais difundida nos últimos anos.

 

O vereador Ripoli teria, em tese, jogado tudo que disse durante todos esses 10 anos pela janela da emissora, ao atingir em cheio uma parcela considerável da sociedade avareense que sofre desse mal desconhecido pelo homem público e comunicador.

Essa seria a mostra derradeira de que o vereador e suposto radialista não estaria mais preparado para continuar fazendo um programa de jornalismo, já que não sabe discernir uma patologia que atinge uma boa parcela da sociedade brasileira. Que pena, Dr. Curiati, a que ponto chegou a sua emissora.

 

Mas a atitude do vereador/radialista Ripoli serviu para mostrar qual é realmente o seu pensamento com relação aos que sofrem de depressão, a doença do século 21, que é ignorada de forma banal pelo radialista do deputado Curiati que, aliás, um dia foi médico em Avaré.

 

Por certo o comportamento do vereador e radialista Ripoli deverá chegar ao conhecimento do Conselho Regional de Medicina para as devidas providências não só contra o vereador, mas também a cobrança de responsabilidade da emissora. Com a palavra os psiquiatras da cidade.

 

Como vai se explicar o vereador e radialista aos inúmeros anunciantes da emissora, como também do seu programa de suposto jornalismo, uma vez que pessoas portadoras da doença foram atingidas por ele com a pecha de que ‘Depressão é coisa de viado’.

 

Ripoli não sabe, mas pode ter atingido pessoas que ele nem imagina e que o resultado final disso não ficará impune como ocorre na Câmara de Vereadores, onde ele é presidente da Comissão de ética.  Uma posição, no mínimo, contraditória.

 

Com certeza o vereador/radialista deverá ser procurado por emissoras de TV nos próximos dias para explicar seu total desconhecimento sobre uma patologia muito conhecida no cenário mundial.

 

O vereador Denilson Ziroldo queria tanto uma posição de destaque na Câmara e já conseguiu. Ele vai fazer parte podendo ser o relator que vai investigar o caso do cascalho. É uma senhora de uma batata quente que Denilson pegou nas mãos. Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.

 

E agora que a sociedade quer saber em que lado o vereador Denílson está, porque, pelo andar da carruagem, até agora só mostrou estar em cima do muro. Suas atitudes deverão mostrar quais as suas verdadeiras intenções com Avaré, como ele bem fala.

 

O vereador Estati não errou e foi muito bem em plenário quando disse que o lamaçal não vem da plateia e sim do legislativo. O vereador não acha certo o público ir à Câmara para vaiar.  Mas, do jeito que as coisas andam não há  alternativa, senão a vaia. A Câmara deixa a desejar.

 

O vereador Tucão passou a ser ovacionado por algumas pessoas que até então o criticavam. Concordam com o seu silêncio na Câmara. Afinal, afirmam que o caso do feijão é tão perigoso que ele prefere ficar no silêncio e não estimular a ira de algumas pessoas.

Veja Também