A estranha manobra da CPI ao realizar “oitiva oculta”

A estranha manobra da CPI ao realizar “oitiva oculta”

legenda:

Foto Fonte: ilustrativa

Chamou a atenção nos meios políticos de Avaré a manobra da Câmara que gerou mais uma oitiva oculta, contrariando todas as disposições legais de transparência que deveriam nortear a gestão legislativa.

Uma conjunção de fatores chamou a atenção, onde ontem pela manhã o apresentador Eder Wander, da Jovem Pan, citou o fato estranho de que um dos pivôs da CPI do Covidão, o farmacêutico Juarez Marchetti não estaria mais no Brasil.

Poucas horas depois a Câmara realizou uma oitiva oculta, sem avisar a imprensa e nem os vereadores de Oposição, causando um enorme constrangimento. A sessão foi transmitida virtualmente, pegando muitas pessoas de surpresa.

Os vereadores de oposição tentaram chegar na Câmara antes da oitiva terminar, mas sofreram o constrangimento de encontrar a oitiva já encerrada. Uma situação muito suspeita, pois eles tinham muitos questionamentos a Juarez que, em julho desse ano pediu demissão da Prefeitura e viajou à França, isso em plena CPI, o que deixa uma conotação de muita estranheza e que certamente terão desdobramentos pois o GAECO e o Ministério Público deverão achar interessante essa conjunção de fatores.

Veja Também