Câmara de Cerqueira votará cassação do vereador Matheus Siqueira

Câmara de Cerqueira votará cassação do vereador Matheus Siqueira Fonte da Foto: assessoria

Chega a sua final na Câmara de Cerqueira César a Comissão Processante contra o vereador Matheus Siqueira (PT), que teria descumprido o decoro parlamentar durante visita a uma escola da cidade no mês de maio. Em relatório apresentado na última quinta-feira, dia 9, a comissão pode indicar a cassação do mandato do parlamentar, confirmando o posicionamento da base de apoio ao governo municipal em enfraquecer a oposição na Câmara.

A CP foi instaurada após denúncia feita por um munícipe com base em ofício da secretária da Educação Neiva Bruzarosco e na visão do partido busca dificultar o trabalho de fiscalização aos agentes públicos, realizada pelo vereador do PT. Segundo o diretório municipal do partido, todas as ações praticadas pelo parlamentar estão dentro das atribuições de seu cargo e o processo de investigação se reduz a uma ação de perseguição ao mandato, alinhada a diversos outros episódios da política regional e nacional, como ao ex-prefeito de Avaré, Wagner Bruno e os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff.

O trabalho da comissão foi de apurar a denúncia que apontava que o vereador petista teria “invadido” uma unidade escolar e discutido com uma profissional da educação, o que consistiria em quebra do decoro parlamentar. Na oportunidade, Matheus Siqueira acompanhava a realização de uma “pesquisa” realizada pela pasta referente ao retorno às aulas presenciais, porém, nenhum vídeo foi apresentado pela escola para comprovar o fato e somente corroboraram com essa narrativa, testemunhas que compõe o quadro de funcionários da secretaria de Educação.

As discordâncias entre Matheus Siqueira e o atual governo, em especial a pasta da Educação, começou logo no primeiro trimestre do ano, quando o parlamentar se posicionou contrário o retorno as aulas presenciais, debate que ganhou corpo em realização de Audiência Pública, onde os planos de retorno foram frustrados. Sendo assim, a denúncia faz parte de medidas de retaliação com o objetivo de inviabilizar e intimidar a atuação parlamentar de um representante popular, sendo motivada, pelas discordâncias acerca do tema.

A própria atuação da comissão, formada pelos vereadores ligados a base de apoio do prefeito, como Joice Lopes (MDB), a presidente, Celso Basseto (PODE), o relator, refletindo os interesses do grupo e podem, portanto solicitar a cassação do vereador, mesmo sem a comprovação das denúncias ou mesmo a definição de crime passível de tal penalização. Nesse cenário, o vereador Adriano Lopes (PSB), membro da comissão, apresentou um relatório paralelo, apontando as inconsistências da denúncia e as falhas cometidas durante as investigações.

Com a apresentação do relatório final da comissão, foi realizada uma live ainda na quinta, dia 9 de setembro, com a presença do vereador Matheus Siqueira e de militantes petistas de Cerqueira César e Avaré, onde puderam apresentar suas considerações sobre esse processo, “não é somente o mandato do vereador Matheus Siqueira que será afetado, eu tenho certeza que conseguirei retornar na Justiça, mas com essa postura, caso a Câmara de Vereadores se submeta a essa situação, ela ficará a mercê dessa pressão pelas denúncias, que afetam sua autonomia”, disse o parlamentar.

Hoje, segunda-feira, dia 13 de setembro, será realizada sessão ordinária da Câmara Municipal de Cerqueira César onde serão apresentados os relatórios elaborados pela comissão e divulgada a data da votação que poderá cassar o mandato do vereador petista.

 

Diretório Municipal PT de Cerqueira César

Diretório Municipal PT de Avaré

Veja Também