Coligação de Jô tenta empurrar para Caçapa a responsabilidade

Coligação de Jô tenta empurrar para Caçapa a responsabilidade Fonte da Foto: arquivo

Devido à divulgação na rede social de uma pesquisa falsa, sem registro e sem o número de indecisos publicada pelo candidato a vereador Reinaldo Souto (Caçapa), o Ministério Público Eleitoral entendeu que a ação movida pelo Partido Social Democrático (PSD) tinha procedência e foi acatada.

A defesa tanto de Reinaldo Caçapa como da coligação de Jô Silvestre à reeleição não ganharam êxito e um fato que chamou a atenção da população avareense foi que a coligação de Jô Silvestre “Avaré não pode Parar”, na defesa, jogou toda a responsabilidade para o candidato a vereador Reinaldo Caçapa.

No entendimento do Ministério Público Eleitoral, os elementos produzidos no processo apontam que Reinaldo Caçapa “atua em nome da coligação. Chega-se a tal conclusão por integrá-la; o que por si só, é indício suficiente e por ter ocupado cargo em comissão na atual administração”.

A Justiça Eleitoral informa que a conduta de Reinaldo Caçapa é vedada pela legislação eleitoral e que deve ser instaurado um inquérito policial pela Seccional de Polícia de Avaré, em razão dos reflexos criminais dos fatos, o que deixa claro que tanto o candidato a vereador Caçapa como também a coligação de Jô Silvestre serão investigados. O parecer do MPE será encaminhado à Juíza da 17ª Zona Eleitoral de Avaré, Dra. Roberta Ferreira Lima, que poderá acatar o parecer ou afastar as acusações.

Veja Também