Comparativos mostram que Avaré não precisaria fechar comércio

Comparativos mostram que Avaré não precisaria fechar comércio Fonte da Foto: Divulgação

Apesar do grande alarde das pessoas em relação aos casos de Covid-19 na cidade, onde elas têm razão com a preocupação pois não se pode achar normal que as pessoas percam a vida por causa da pandemia, aos jornalistas é importante trazer informações para mostrar como as coisas estão de forma comparativa, para que todos entendam qual a posição de Avaré perante os cenários do Brasil e de São Paulo.

Foi isso que o vereador Toninho da Lorsa fez, motivado por questionamentos de jornalistas, inclusive do Jornal do Ogunhê, com relação ao seu posicionamento sobre a questão do Coronavírus na cidade e sua atitude em relação ao atual prefeito, a quem Toninho disse que prefere não criticar nesse momento, pois diz que agora é hora de buscar soluções, em favor da cidade e de seu povo.

O vereador Toninho da Lorsa fez uma pesquisa e descobriu que os casos de Avaré ficaram abaixo das médias estadual e federal e afirma Toninho da Lorsa, o que não deixa de ser uma boa notícia, mas é óbvio que toda vida importa mas em um momento de tantas mortes, é uma informação otimista sabermos que os índices de mortes em Avaré estão abaixo da média, mas é lógico que o ideal seria que não tivéssemos nenhuma morte.

Em sua fala, o vereador aponta que mesmo com a reabertura do comércio em 1º de junho a situação dos casos e mortes por Covid-19, quando comparada com o resto do país e também do estado, ficaram em uma média bem baixa. O estudo mostra também que no acumulado de junho o Brasil teve um crescimento de 92% no volume de mortes entre o dia 1º e 28 de junho, mas Avaré teve 43%, ou seja menos da metade, onde São Paulo (estado) registrou 87%, números esses anotados em Avaré durante o momento de flexibilização da quarentena.

Ele disse também os 10 respiradores que chegaram deixam a Saúde mais preparada para continuar enfrentando essa pandemia, e também o excelente índice de 78 % de curados ajuda no cenário otimista.

Se o prefeito for inteligente ele poderá usar esses dados para organizar seu esquema de quarentena, possibilitando mudanças favoráveis para o comércio, onde é uma decisão discricionária do Executivo, dentro do que pode ser feito dentro do Plano São Paulo e também o que está determinado no site do Governo do Estado, o “Plano São Paulo do Governo do Estado dá autonomia para que prefeitos diminuam ou aumentem as restrições de acordo com os limites estabelecidos, desde que apresentem os pré-requisitos embasados em definições técnicas e científicas”.

Veja Também