Doria prorroga quarentena em SP até o dia 22

Doria prorroga quarentena em SP até o dia 22 Fonte da Foto: internet

O governo de São Paulo ampliou a quarentena no estado até o dia 22 de abril. A determinação entra em vigor a partir desta quarta-feira, dia 08. A medida segue sem flexibilizações, e foi tomada para conter o avanço do coronavírus no estado. A determinação será publicada no Diário Oficial de amanhã, 07.

"Sim, a prorrogação da quarentena será feita por mais 15 dias no estado de São Paulo, do dia 8 de abril a 22", afirmou João Doria. "Isso é constitucional, é uma determinação que deve ser seguida por todos os municípios do estado".

"Sem essas medidas que temos tomado, no sentido de fazer um isolamento das pessoas, pelos cálculos, seriam 10 vezes mais casos do que os 4600", afirmou o secretário estadual de Saúde, José Henrique German.

Dimas Covas, coordenador da Central de Testes do Coronavírus e diretor do Instituto Butantan voltou a falar da necessidade do isolamento social. “Neste momento, nós precisamos da adesão das pessoas. Precisamos elevar, mostrar que a redução está funcionando em níveis superiores a 70%”, afirmou o coordenador de testes e diretor do Instituto Butantan, Dimas Tadeu Covas.

A coletiva de imprensa desta segunda teve a presença do infectologista David Uip, que retornou dos 14 dias de isolamento, após ter contraído a doença.

Uip reassumiu a coordenação do Centro de Contingência do Coronavírus. Antes dos anúncios, ele pediu a palavra ao governador e fez um relato sobre seu enfrentamento da doença.

“Eu agradeço à Deus por estar aqui vivo, segundo à minha família, especialmente à Tereza, meus filhos, netos e genro pela solidariedade."

 

Ele ainda comentou sobre os dias em que precisou ficar em isolamento total. "É de extremo sofrimento. Eu tive que me reinventar. Tive que criar um Davi novo, seguramente mais humilde, e sabendo os limites da vida". Uip também afirmou que voltará atender pacientes e fez um alerta a quem subestima a doença.

"Não é brincadeira. Por favor, aqueles que estão subestimando, achando que não é nada, ou que é pouco, eu desejo ardentemente que não adoeçam. É um sofrimento muito grande."

A determinação seguirá como a anterior, com o fechamento do comércio e mantendo apenas os serviços essenciais, como nas áreas de Saúde e Segurança.

Veja Também