Hoje é aniversário de Avaré, nada temos a comemorar

Hoje é aniversário de Avaré, nada temos a comemorar Fonte da Foto: Divulgação

Editorial Quem não tem afinidade com a franqueza, mesmo que dispense um grande amor por Avaré, pode até discordar do nosso posicionamento, mas não vamos aqui fazer média, como se o município estivesse passando por bons momentos, que nem precisamos explicar, porque a população está percebendo a veracidade dos fatos.

Enfrentamos uma pandemia que, em certos momentos, não é respeitada por uma minoria que desacredita na doença e que faz com que a Santa Casa de Avaré se mantenha com um rodízio muito grande de pacientes, uns entrando e outros saindo, em determinados momentos, assustando nossos médicos e enfermeiros a quantidade de pessoas que passam pelo hospital.

Na verdade, o que a população de Avaré certamente esperava era que pudéssemos ter um grande desfile, à altura da data comemorativa, mas  a pandemia não permite, pois o número de contaminados mostra a grave situação da cidade.

O que gostaríamos para Avaré é que a saúde estivesse equilibrada, sem suposta politicagem, que os administradores pensassem mais na cidade, mesmo com todo esse enfrentamento da pandemia e que os avareenses fossem, apenas, adversários políticos e não inimigos políticos e mantivessem a visão focada no desenvolvimento da nossa cidade. Queríamos estar em franco crescimento, ao invés de estarmos retrocedendo, deveríamos estar recebendo de volta o que tínhamos, ou tivemos, como o Quarto de Milha e eventos de grande relevância que agora não existem mais.

Uma pena que uma cidade como Avaré tenha perdido e continue a perder tantas coisas que a tornaram a Terra do Verde, da Água e do Sol e que, por sinal, é um alento, ainda, para quem chegou aqui há 40 anos e acompanhou a evolução da cidade e a inesperada interrupção da vinda das coisas boas, tudo isso vitimado pelo sistema político imposto pelos que passaram a considerar mais as questões políticas. A população passou a entender que a política era mais interessante do que o progresso; tudo aquilo que estamos vendo agora não deixa de ser um reflexo da má política.

E o que aconteceu com Avaré? É tão fácil explicar: Nesse sistema de ódio na política, o que mais se vê são obras de outros prefeitos que ficaram para trás, com promessas e mais promessas, sem que resultados apareçam.  Desta cidade que, hoje, completa 159 anos, só podemos dizer que não temos o que festejar e isso é uma retórica verdadeira, pois a população tem conhecimento total de tudo. Mas, vamos acreditar que, um dia, tudo isso mude, quando, realmente, os políticos começarem a pensar Avaré com bons olhos e que comecem, pelo menos, a ter pena e se dediquem de corpo em alma; apaguem esse fogo do ódio, da maldade e das perseguições e que a cidade venha a ser reconstruída e onde reine uma política saudável, sem ameaças a quem não concorda com os atuais caminhos. Hoje nada temos a comemorar, a não ser manter a esperança de que tudo possa mudar, um dia, e que Avaré se recupere e volte a crescer com dignidade.

Wilson Ogunhê (Editor)

Veja Também