Vítima de acidente foi liberada com perfuração intestinal e derrame pleural

Vítima de acidente foi liberada com perfuração intestinal e derrame pleural Fonte da Foto: ilustrativa

Ao se verificar o processo de Erro Médico que tem a ex-coordenadora do Pronto Socorro como ré, percebe-se que o caso é extraordinário, pois um paciente em estado grave foi liberado do Pronto Socorro somente com uma tala no pé, e ele poderia ter morrido, caso não buscasse uma segunda opinião.

Tudo teve início no dia 28/02/2018, por volta das 21:50 horas, na Rodovia Castelo Branco, onde a vítima veio a sofrer uma colisão traseira, ficando presa nas ferragens da cabine do caminhão, dando entrada no Pronto Socorro Municipal de Avaré às 22:49, com reclamação de dor abdominal e no pé direito.

Ele foi submetido a um raio-x e medicado, ficando em observação por 8 horas, conforme anotações da médica Danila Garcia. As 07:50 horas da manhã, a médica Andressa Machado, lhe deu alta médica, mais receita e orientação, com a anotação de apenas uma fratura no pé direito, procedendo, assim, o paciente para sua residência na cidade de Ocauçu.

Contudo, a vítima não melhorou, continuando a sentir dores, pois apenas fora posta uma tala em seu pé, medicado e mandado para a casa pelas profissionais da unidade de saúde avareense.

Não suportando as dores, no dia 02/03/2018 dirigiu-se ao Pronto Socorro Municipal de Ocauçu, sendo encaminhado para o HC de Marília devido à sua grave situação.

No dia 03/03/2018, às 12:14 horas, foi atendido e às 19:47 hora foi internado no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Marília – HCFAMEMA, no setor de urgência/emergência ortopédica, pois estava com edema no pé direito, sendo que o exame físico constatou fratura na região de médio pé direito assim como radiografia com evidência de fratura.

Foram constatadas lesões internas no tórax, sendo encaminhado para a cirurgia. Exames constataram um pequeno derrame pleural bilateral, além de perfuração do intestino grosso de 2,0 cm, tendo como diagnóstico: “colite isquêmica com perfuração intestinal e peritonite aguda”.

 

Veja Também