Vitória dos professores repercutiu na câmara

Vitória dos professores repercutiu na câmara Fonte da Foto: arquivo

Quando os professores da rede municipal de ensino foram surpreendidos com a aprovação da lei municipal nº 2.467/2021, que obrigava a redução da jornada de trabalho para o acúmulo de cargos de 70 para 60 horas semanais, muitos deles entraram em desespero, pois o planejamento econômico/familiar desses professores já estava comprometido com o salário proveniente dos dois cargos e também contavam a promessa da maioria dos vereadores que a malfadada lei não seria aprovada pelo legislativo, o que não ocorreu.

Houve, inclusive, várias críticas pesadas dos professores e diretores, em seus grupos de whatsapp, direcionados aos vereadores Léo Rípoli, Magno Greguer e Carla Flores, que, segundo alguns professores, supostamente tinham dado a palavra que votariam contra tal projeto, porém no dia 20 de abril, votaram favorável à lei que prejudicaria os servidores da Educação, juntamente com os demais vereadores da base de apoio do prefeito, Roberto Araújo, Jairinho do Paineiras, Ana Paula do Conselho e Flávio Zandoná, que inclusive desempatou à favor do prefeito, prejudicando os profissionais da educação, pois como todos sabem, os vereadores da oposição votaram contra o projeto de lei.

O sindicato dos servidores públicos ingressou na justiça com uma ADIN - Ação Direta de Inconstitucionalidade com pedido de liminar, que foi concedida pela desembargadora relatora, para suspender os efeitos desta lei que estava aterrorizando e deixando doentes vários professores, visto que fizeram concurso, foram empossados, e organizaram suas vidas e despesas de acordo com seus vencimentos.

Na sessão de Câmara da última segunda-feira, nenhum vereador da base do prefeito tocou no assunto da vitória dos professores, porém, todos os vereadores da oposição dedicaram um tempo da palavra livre para parabenizar os docentes pela vitória temporária.

“Eu fiquei muito feliz! Graças a Deus foi feito justiça e estão com seus acúmulos novamente e isso é muito gratificante pra nós que nunca fomos a favor desse PL que prejudicava nossos professores”, relatou a vereadora Isabel Dadário, em seu pronunciamento na palavra livre.

Veja Também